REVISTA ANEFAC

Edição 191 Março, Abril, Maio


Lord Excrachá

Falta de comunicação, uma vírgula!

Já teve aquela sensação de ter perdido tempo, de ter feito esforço que não deu resultado, de ter que refazer porque não foi entendido como deveria ter sido feito?

Quem falou não expressou direito o que queria, ou quem escutou não entendeu da forma como era para ser, e nenhum dos dois checou o entendimento, e aí, de quem é a culpa?

Como diria Millôr Fernandes: se o artista precisa explicar a arte para o público, um dos dois é burro.

Quando a comunicação não é clara, a improdutividade impera, e comunicação é um dos grandes geradores de problema nas organizações.

Uma vez a vendedora estava conversando com um cliente por telefone e, ao mesmo tempo, na vontade de fechar rapidamente a venda, manda no grupo de WhatsApp do pessoal da logística a seguinte mensagem:

Pessoal algum problema se o piso for entregue no dia 20 de Setembro?

Resposta da equipe: Não pode ser.

Neste mesmo instante a vendedora responde em tom desapontador ao cliente: “Infelizmente senhor não conseguimos atender este prazo”. E assim a venda não foi feita.

Final do mês, resultados ruins, o diretor cobrando as vendas que não aconteceram... A vendedora diz que a logística não entrega e a logística diz que não entrega porque ela não vende. “Se a logística tivesse sido capaz de entregar o piso no dia 20 eu teria vendido”, diz a moça.

Acusações daqui e dali e ela decide mostrar a mensagem: “Olha aqui o que vocês me responderam”, diz a vendedora com o celular na mão: “‘Não pode ser’, foi isso que me mandaram”.

Percebendo que deveria haver uma vírgula depois da palavra "não", e que isso mudaria completamente o entendimento da vendedora, que estava certa em seu argumento, o chefe da logística – tentando se esquivar do problema – manda chamar na sala o rapaz responsável pela mensagem, e imediatamente envia para o diretor, um WhatsApp privado, com a seguinte frase: “Calma chefe, é só um problema de comunicação. Isso só o Marcelo resolve!”.

Na expectativa de uma solução, todos esperam a chegada de Marcelo à sala, que àquela altura tinha temperatura elevada.

Ao chegar, Marcelo, o responsável e envergonhado atesta: “É, deveria ter sido escrita: ‘Não, pode ser’”.

Percebendo a má comunicação entre as áreas, o diretor pergunta: “E agora, prezados, como iremos resolver isso?”. Ele olha para o chefe da logística e com o celular em mãos, diz: “Isso só o Marcelo resolve” e aí? Estou esperando a solução do salvador da pátria, afinal qual é a solução que só ele poderia dar?

Mais uma vez percebendo a mancada, e já abusando de seu conhecimento gramatical, responde o chefe da logística: “É chefe, na realidade eu estava querendo resolver a questão da comunicação. A frase correta era: ‘Isso só, o Marcelo resolve’”.

Após esta reunião todos aprenderam a aplicação correta das vírgulas, porém as vendas mostravam resultado, antes da vírgula, bem abaixo do esperado.

E fazer o que com o chefe da logística? Demiti-lo?

Não, tenha clemência, foi um erro!

ou

Não tenha clemência, foi um erro!

Você colocaria a vírgula?





EDIÇÕES ANTERIORES
Edição 190 Novembro/Dezembro

Administração Os impactos das novas leis trabalhista e da terceirização no cenário empresarial.
Edição 189 Setembro/Outubro

Entrevista Wagner Rosário, ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União, vê construção de um novo paradigma nas relações público-privadas.


REALIZAÇÃO

SÓCIO MANTENEDOR

APOIO




ANEFAC Congresso ANEFAC Troféu Transparência Profissional do Ano Pesquisa de Juros Associe-se Contato
São Paulo

(11) 2808-3200

Rua 7 de Abril, nº 125 - Cj. 405 - 4º andar - República
São Paulo - 01043-000


eventos@anefac.com.br
Rio de Janeiro

 (11) 2808-3200




Campinas

(11) 2808-3200




Curitiba

 (11) 2808-3200




Salvador

 (11) 2808-3200





© ANEFAC. Todo o conteúdo deste site é de uso exclusivo da ANEFAC. Proibida reprodução ou utilização a qualquer título, sob as penas da lei. All rights reserved. Site desenvolvido por Acessa Brasil Internet